quarta-feira, 10 de junho de 2009

Carta de Conduçao

Bastaram as palavras "Não achas que já estás inscrita há tempo suficiente?" do meu pai para que eu me decidisse e em três meses tirasse a carta. A inscrição tinha sido feita no cair dos meus dezoito anos, e em Dezembro só tinha posto os pés na escola de condução umas quatro vezes. Muito mau. O código era a seca que se sabe e a condução metia-me mais medo que um túnel escuro. Só tinha tentado conduzir uma vez e não foi muito agradável, que o diga um ex-namorado a quem quase atirava o carro para o rio. Assim sendo estava a zero. Pior a negativo e cheia de medinhos tontos, próprios de quem é tão insegura como eu. Felizmente foram rapidamente superados e nem precisei das trinta aulas para me sentir apta para ir a exame de condução. E hoje não me imagino sem carta. Toda esta conversa porquê? Porque a maior parte das minhas amigas não tem carta. E mais. A ironia é que quase todas elas já têm carro e a carta paga. E eu já desisti de as massacrar. Usei todos os pretextos e mais alguns mas não serviu de nada. Eu não me imagino sequer sem carta. Dá-me toda a liberdade e mais alguma. Não a tivesse eu e os meus três anos em Lisboa tinham sido bem mais difíceis e a minha maratona diária aqui quase impossível. Obviamente que as filas de trânsito me enervam ao ponto de ninguém conseguir falar para mim, cada vez que o preço do gasóleo aumenta só sei reclamar mas nada paga o facto de não estar dependente de ninguém para me deslocar seja onde e a que horas for, e daqui a uns tempos quando tiver os meus filhos ter a possibilidade de ter pronta-resposta quando alguma urgência assim o ditar. Mas não há forma de as convencer. Uso todos os argumentos possíveis e imaginários. Urgências familiares, compras nocturnas, trabalho, férias, filhos, necessidade trazer carro quando algum amigo excedeu os limites do álcool, namorados deslocados, tudo. Até me ofereço para lhes dar umas aulinhas no recinto aqui ao lado de casa. E de nada me vale. Há por aí mais algum argumento forte?

3 comentários:

Summer disse...

Oooops :) acho que pertenço a esse grupo de carta paga mas sem pachorra de lá aparecer (vá, ao menos nao tenho o carro pago).

Yes, Gigi ca gente
ahah!!
kiss***

gisela disse...

Olá

Concordo plenamente contigo, eu já tenho a carta há 13 anos e foi o melhor que os meus pais me podiam dar...

Menina dos Olhos de Água disse...

Acho que a liberdade que nos dá é o maior argumento de todos....
E eu sou daquelas que não a tirou logo aos dezoito, mais por preguiça que por outra coisa, mas hoje não me imagino sem ela.

Beijocas