segunda-feira, 26 de outubro de 2009

13meses

Podem passar meses, anos, décadas até, que nunca me irei habituar a ouvir o teu nome, o teu nome completo que tantas vezes rabisquei em folhas perdidas, dito pela boca dum Padre. E é nesse pequeno momento que a minha alma por instantes acredita que PartisTe. Que a minha alma me diz que não te irei ver quando chegar a casa, embora possa jurar que às vezes, muitas vezes até, ouço o Teu chegar. Ouço os teus passos apressados e o teu pousar a chave. E juro que o meu inconsciente Te vê, inclinado na lateral da porta da cozinha a pousar-las e a olhar qualquer coisinha para reconfortar o estômago. Sorrio. E esse sorriso choroso, grita desesperado as saudades sufocantes que trago no peito. Grita o amor incalculável que Te tenho. O meu maior orgulho. Assim sem mais palavras treze meses depois.

9 comentários:

Este Blogue precisa de um nome disse...

:(

Nem sei que te diga. Um beijinho.

Anónimo disse...

Como te compreendo...por vezes também só acredito quando ouço o padre a dizer o nome Dele...Para mim é reconfortante ler o teu blog porque sinto que não sou a única a sentir a presença dessa pessoa que tanto amava...Tenho dias em que dou por mim a pensar que tudo não passou de um pesadelo e que quando chegar a casa pego no telefone e consigo ouvir a voz Dele...Passaram quase 4 anos e as saudades são tantas...Beijinhos S.V.

voninha disse...

Comove-me bastante a sua sensibilidade, o seu amor. Vem-me a lembrança um primo que morreu em circunstâncias trágicas, em Angola, andava na tropa e o que parecia ser uma simples queda de um jeep, para ele tornou-se fatal... isto em 1973... embora eu fosse ainda novinha, lembro bem tuso oque aconteceu, com uma diferença, já não é com aquele dor do inicio, mas não esqueço...
Creio que o seu irmão também tenha sido acidente, o que torna a situação mais dolorosa.
Desejo-lhe o melhor do mundo e quero dizer-lhe isto, que um senhor com quem falo de vez em quando me disse em relação a uma fase menos boa que estou a passar com o meu marido e que, não sei porquê, me "reconfortou" um pouco, que é o seguinte: ninguém pode viver a vida de ninguém todos temos a nossa própria vida e no fim todos nos encontramos"...

Mr. Me disse...

Há coisas que o tempo cura. A saudade, não é uma delas.

Beijo grande de força para ti!

Mau Feitio disse...

Essa dor que sentes, essa saudades, esse amor...
Entendo...
Um abraço mto mto forte

Margarida disse...

Já se passaram 13 anos. Assisti à morte dele, vi-o morrer no meu silêncio. Sei que levou a neta, eu, no coração. E ele continua a viver no meu, e incrível é que sinto a presença dele. O sentir que está comigo quando estou sozinha na sala. Enfim...
Beijinho!

Com o tempo vai-se tornar mais fácil mas a ausência vai ser sempre dolorosa, vão existir momentos que só ele te poderia reconfortar.

Fénix disse...

Um bejinho meu =) *

Kisses*
Fénix*

Suspiro do Norte disse...

Xi apertadinho

Miss Mau Feitio disse...

Beijinhos querida...daqeles que enchem a alma.