terça-feira, 28 de abril de 2009

My name is..

Este espaço sempre recebeu um ou outro comentário anónimo mas nunca tive problemas com isso ao contrário de alguns blogs que sigo diariamente. Até hoje. Pergunto-me que anormal é aquele que se dá ao trabalho de vir à casa dos outros comentar fazendo-se passar por outra pessoa. É que não entendo mesmo e só vejo justificação num elevado grau de frustração e leviandade. É mesmo caso para o mandar ir dar a volta ao bilhar grande. E depois então convido-o a vir até aqui, a este meu singelo e humilde espaço dizer de sua graça. A sério que não entendo o que possa ganhar com isso, ainda para mais fazendo-se passar por quem passou. E vê-se bem que é alguém que não me conhece minimamente pois caso contrario saberia que não alimento esse tipo de polémicas, e a primeira coisa que iria fazer era falar com a pessoa em questão. E assim fiz. E agradeço à minha família me ter incutido o espírito de justiça. Não suporto mal-entendidos. Não suporto injustiças. Embora mas façam muitas vezes. E embora nessas vezes nem tenha oportunidade para defender pois não mo dizem. É mais fácil assim. Mas magoa. Quem o fez concerteza é alguém ressabiado que só está bem a viver a vida dos outros, daquele tipo de gente que sorri connosco e ri nas nossas costas. Que nos dá a mão com intuito nos ver o braço. Daqueles que desde logo esperaram que a minha vida virasse novela mexicana. Que camuflados e após o impacto inicial sempre quiseram saber apenas o que não nos interessava para nada. Esqueceram-se também que sou igual a ele e que isso nos momentos cruciais é o que importa. Sou a sua imagem e tenho muito orgulho nisso. Mas é natural que não o saiba pois só alguém que me conheça pouco ou nada o faria. De certeza. Mas sem ressentimentos. Entre e pergunte o que quiser saber pois nunca deixei ninguém sem resposta. E não, não tenho porque me chatear com ela, não vale apena vir para aqui criar polémicas. E não tenha medo que não ocupamos o lugar de ninguém na vida uma da outra. Há espaço para todos. Agora arranje uma vidinha sim e deixe-me quieta no meu canto . Há quem precise de paz, que precise de chorar tudo que não chorou, que precise gritar o que não gritou, que precise começar a pensar em si. Que precise dum sol amigo pois a luz da sua vida apagou-se para sempre. E com isso não se brinca. Nem eu admito.

3 comentários:

Sanxeri disse...

Pois eu tambem tive de aturar um ontem à noite. Os meus pesames por teres anonimos sem vida a chatearem-te. ;)

Andreia disse...

ola,
vim cá ter através do comentário que deixaste no blog da brilhozinhos... fui lendo e fiquei completamente emocionada com o que li... (entenda-se desfiz-me em lágrimas).
Não imagino a vossa dor... Queria apenas dixar aqui uma palavra de apoio. Valem o que valem, é verdade, mas tb ja perdi uma pessoa muito amada e passados 3 anos, não existe um dia que passe que eu não me lembre dela, mas agora já não custa tanto, já conseguimos falar dela sem chorar, acima de tudo fica e ficará para sempre uma enorme saudade... Bjinhos e coragem para a familia.
Ele era e será sempre uma pessoa especial para vós que deve ser sempre recordade!

Suspiro do Norte disse...

Obrigado pelas palavras de apoio minha querida. Ficará sempre guardado no meu coração. SEmpre.
Força para ti também minha querida e bem-vinda a este espaço.

beijinho