quinta-feira, 24 de junho de 2010

Sem balão

Este ano não me soube a S. João. O karaoke não teve a magia dos outros tempos, o bailarico passou-me ao lado, indiferente e silencioso. Não comprei um martelo. Apenas uma e só uma Super Bock. A sardinha, a única que comi embolou-me o estômago, seca. Estendi as pernas e arranhei os pés no canto daquela cadeira. As gargalhadas estridentes perderam-se nos meus pensamentos, que eram tantos que acabaram por se perder também. Tentei brincar com aquela pedrinha, mas escapou-me. Este ano o S. João era o mesmo de sempre, com o arraial animado e a sardinha imperativa na brasa. Este ano, por um sem-número de questões eu prescindi da festa no inicio da noite. Se há coisas que se mantêm inalteráveis, outras há que mudaram para sempre.

2 comentários:

Qel disse...

..um grande, grandeeee beijinho, a. *

Anónimo disse...

Por que nao:)