domingo, 26 de junho de 2011

Vou parar À fogueira

Não conheço pessoalmente o Angélico Vieira.  Espero sinceramente que ele sobreviva, como espero sempre que acontece uma tragédia destas a alguém. Mas é realmente revoltante a quantidade de moralistas que surgem nestas ocasiões. De um momento para o outro toda a gente é super correcta, toda a gente cumpre a lei afincadamente, toda a gente usa sempre o cinto, ninguém excede os limites de velocidade. E mais surpreendente, toda a gente obriga os passageiros que seguem nos bancos traseiros da sua viatura, a usar os cintos de segurança. Bem, pois cá vai. Eu não faço Porto-Lisboa a 120km/h como obriga a lei, não obrigo os passageiros traseiros a usarem o cinto de segurança. Faço centenas de quilómetros por semana, e uma vez ou outra não uso cinto de segurança. Pior, as vezes atendo uma ou outra chamada. Não me orgulho e tento sempre ser melhor, mas isto sou eu, uma ave rara, um poço de irresponsabilidade a quem deviam condenar a levar vinte chibatadas. Lamento é que muitas pessoas se esqueçam que ser mediático é apenas um pormenor para aquele jovem que está naquela cama a lutar pela vida. Lamento que as pessoas se esqueçam que ele é filho de alguém, que o seu circulo pessoal se encontra devastado. E essas pessoas são como eu, como a minha vizinha, como a pessoa que vive 3 ruas abaixo. E infelizmente, ou felizmente para alguns, lamento acima de tudo que muitos se esqueçam que o mal não acontece apenas aos outros. Pode bater-vos à porta a qualquer momento, como já bateu à minha. E nestes momentos moralismos, não obrigado.

10 comentários:

mari disse...

por mim está muito bem dito...

Este Blogue precisa de um nome disse...

O único pst que li, de jeito, acerca do assunto...

Nokas disse...

Acontece a qualquer um...

Pandora disse...

Faço das suas palavras minhas ...

Andreia disse...

verdade verdadinha... só acrescento que infelizmente o destino é tramado para certas pessoas. Desejo as melhoras para todos os envolvidos... :(

BlueAngel disse...

Não concordo em tudo contigo, porque não procedo dessa forma e isso não faz de mim uma pessoa melhor ou pior, faz de mim uma pessoa como outra qualquer. Ando sempre de cinto e quem anda no meu carro anda sempre de cinto atrás, porque sou eu própria que digo para colocar; talvez porque já aconteceu há uns 6/7 anos uma amiga que ia atrás não ter cinto e ter de pagar uma multa de 120 euros, valor que provavelmente já é mais alto hoje em dia. Agora os 120 km/h, ultrapasso-os várias vezes e não estou livre de nada, aliás a partir do momento em que entro no carro tudo pode acontecer, porque eu confio em mim, mas nunca sei quem vem do outro lado. Não tenho nada contra o moço e espero que recupere, mas infelizmente parece que a coisa está mesmo muito grave. :-(

ombemua disse...

depois de ler alguns post's sobre o acidente, e' o unico que diz o que realmente se passa!
E tal como tu acho que as pessoas nao devem agora estar a dizer prai que perdem a pensa quando sabem que ele nao ia de cinto!
Mas porque???
So por nao levar ci nto ja nao e merecedor de pena??
Indigna-me esta gente que fala da boca para fora sem pensar que pode acontecer a eles mesmos...
Boa semana
Baci*

Alice disse...

este caso mexeu comigo, pois quem anda na estrada tem medo, lógico, ainda mais porque sabemos através da comunicação social (e não só) dos imensos acidentes que ocorrem todos os dias. eu tenho mais receio dos outros do que de mim. mas, uma coisa que eu coloco SEMPRE é o cinto de segurança, desde que tirei a carta, não falhei um único dia. e a partir de agora vou "exigir" o mesmo aos ocupantes do carro, se bem que nem sempre me "obedecem", principalmente os que vão atrás.

antigamente a maior parte dos carros não tinha cintos atrás, e parece que muita gente ainda pensa que não é obrigatório, mas é, e se é, por alguma razão é, pois a segurança.

actualmente também tenho mais consciência em relação à velocidade, primeiro porque já fui multada e mais importante do que isso é que tomei consciência que é mesmo muito perigoso andar a alta velocidade, caso aconteça algum imprevisto. e sim, já fiz (no passado) muitas, mas muitas viagens mesmo a 210km à hora. era imatura e inconsciente, felizmente sempre tive sorte.

e para finalizar, e como já disse em cima, podemos fazer tudo bem e termos azar na mesma, basta outro condutor não cumprir a parte dele, ou ter algum azar também, como um pneu furado, por exemplo. todo o cuidado é pouco...e vejo muita coisa na estrada que preferia não ver. há pessoas que deveriam fazer testes psicológicos antes de terem um volante nas mãos.

+++

Pai disse...

Olá A,

Gostei do que li. Agora que trabalho (temporariamente) numa cidade onde se conduz como loucos (ainda me queixava de Portugal) vejo a importância de tomarmos medidas ativas de segurança. Mas, e como muito bem dizes, não podemos ser hipócritas e acharmos que fazemos sempre tudo bem, porque não fazemos.

Os que dizem que cumprem tudo estão a dizer aquilo que de facto gostariam ser. Mas entre ser e querer ser, vai a grande diferença.

Tenho saudades Vossas.

Até breve e aproveitem para sair e essas coisas, porque depois, noitadas, só a trocar fraldas ;-)

Catarina disse...

Concordo muito contigo.

http://hojedeumeparaisto.blogspot.com/2011/06/morrer-na-estrada.html