sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Em quatro anos nunca demos importância ao dia dos Namorados. Este ano não foi excepção e só me lembrei do dia que era quando, ao final da tarde, estranhei as minhas amigas todas me começaram a ligar a perguntar onde ia jantar. Não fui. Tinha tido uma manhã complicada e uma tarde cheia de trabalho e não me apetecia sair. De cabelo amarrado e com um look de trazer por casa ia-me limitar a fumar um cigarrinho no tasco à porta de casa, enquanto o Orlando se entretinha a jogar matraquilhos. Era para ser assim, mas por volta das 23h30, quando ia para casa o Orlando insistiu que fossemos sair. Repeti que não, que não me apetecia, não estava arranjada e principalmente que não tinha disposição psicológica para. Mas tanto insistiu que acabei por ir. Nesta fase tão difícil ele tem sido incansável e o que mais admiro é que tal como eu, ele foi capaz de atirar para o amanhã as suas dores e angustias, e tentar apoiar ao máximo os meus pais, no agora, no presente, mostrando-lhes que podem contar connosco. Por isso e por tudo, porque o amo, não lhe posso só dizer nãos e confiná-lo à vida cinzenta que se transformou a minha vida. Assim e embora com a certeza que não queria ir, lá acabei por ir. A nós juntaram-se os amigos mais íntimos. O local era porreirinho, o ambiente também mas uma hora e duas vodkas depois pedi para regressarmos. Se entrei lá triste, foi uma Áurea prestes a explodir em lágrimas que abandonou o local. Em silêncio até casa. Só pedia que ninguém me perguntasse nada. Não o fizeram. Conhecem-me. Sabiam o porquê do meu silêncio. Sempre defendi que na vida há um timming para tudo. Mesmo aqui, no Natal o afirmei. O meu para sair, dançar e cantar definitivamente ainda não chegou.

4 comentários:

Menina dos Olhos de Água disse...

Mas vai chegar....

Beijocas

Gisela disse...

Sei que não te conheço e poderás pensar para ti própria para eu me meter na minha vida, mas cá vai...
Esta vida é curta demais para se viver na escuridão e no sofrimento. De certeza o teu irmão não gostaria de te ver assim...
Quem nos ama não gosta de nos ver sofrer e sofrem tanto ou mais que nós... por isso chora e vive o teu tempo de luto, mas tenta ao máximo que esse tempo tenha uma vida curta...
Beijinhos e muita muita força

Aurea Fonseca disse...

Beijinho grande para as duas

Aurea Fonseca disse...

Beijinho grande para as duas