terça-feira, 23 de outubro de 2012

Pingo Doce da Circunvalação semi-vazio. Parque estacionamento pequeno. Um arrumador. Pode dar-me uma moedinha? O meu 1º instinto quis dar-lhe. Depois, naquela fracção de segundos olhei-o. Não teria mais que 35 anos. Bom físico, idade para trabalhar. Depois olhei o Rodrigo que estava no colo da minha mãe. E lembrei-me o tanto tempo que lhe roubo pelas horas e horas que passo a trabalhar. Nisto surge uma arrumadora. Pode dar-me uma moedinha? E subiu-me o sistema nervoso. O país está em crise, está uma merda sim senhor. Mas vamos lá deixar-nos de facilitismos também. Vamos protestar, lutar pela igualdade, pelos nossos direitos. Mas há também centenas de vagas de emprego por preencher. Se eu receio o futuro? Claro que sim. Mas terei sempre dois braços para trabalhar. E se um dia não viver com 100, lá terei que viver com 20. Mas sempre de mangas arregaçadas. Porque eu tento sempre. E isso ninguém me tira. E hoje nem a moeda para o arrumador.

3 comentários:

Lux disse...

Eu tb nunca dou... Custa-me tanto a ganhar.
Além do mais é sempre mais fácil pedir que arregaçar as mangas e trabalhar. E isso irrita-me.

Lux

Paulo Francisco de Araujo disse...

Os aproveitadores estão em todos os lugares. Aqui também é assim.
Um grande abraço

Cantinho da Bê disse...

Concordo tanto contigo...